segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

''CIDADE CINZA''


Amanhece mais uma vez,
sonolento ainda estou,
a cidade lá fora me chama,
me convida a guerrear,
mais um metropolitano,
que tem de ir trabalhar,
que corre atrás dos sonhos,
que sonha em realizar,
noites curtas,
sonhos curtos,
cidade cinza...
ônibus lotado,
trânsito caótico,
pulmão inflamado,
ar cheio de dióxido,
no dia é trabalho,
suor na testa,
e a semana passa,
à noite é festa,
diversão e alegria,
cervejas e conversas,
negra noite,
luzes iluminam,
calçadas,
buracos,
poças d'água,
comerciantes da madrugada...
o sol já vem,
paisagem cinza,
amanhece mais uma vez,
metropolitanos na rua,
tenho que ir para casa,
sonolento ainda estou,
e amanhã nova jornada,
que tenho que enfrentar,
nessa louca metrópole.

jr.magal

2 comentários:

Boaz ben Av disse...

Louca, linda, inculta e bela.
Seu texto também assim... uma ode ade amor e ódio a cidade que devora o dia sem sentirmos.
Sua escrita fez isso:a Amanheceu, virou dia e definhou no recolher escuro da noite.
Ótimo poema dá realmente a impressão do lugar e do tempo que passa rápido. Talvez seja a quase ausência de pontuação que torna o texto ligeiro.

Mazal Tov!Parabéns

segredos disse...

Soube mesmo como descrever a grande cidade, ela é exatamente assim, adoravelmente e cansativa, uma mistura do que é bom que o que pode ser melhor, perfeito!
Beijinhos!