quinta-feira, 10 de novembro de 2011

OLHA O PENTE, OLHA O PENTE, OLHA O PENTE...



Acordei, lavei o rosto e o resto, penteei os cabelos frisados
Vi meus sonhos grudados, nos dentes do pente
Sonhos desfiados, revirados...
Da próxima vez, não me esquecerei de passar 
Um creme alisante
Anti frisos, anti sonhosdespedaçantes
Talvez kolene Pantene Sonhêne ou Biorene 
(Quem me indicou foi Marlene)
Ou um Hairfly, Rélai, vaideretosatanás...   
(Ou qualquer coisa dessas que termine em ENE ou em AI)

Só assim, creio que tais sonhos ficarão grudados 
Na minha cabeça de ideias crespas
Contudo, ainda sigo sonhando
Esses meus sonhos despenteados, quebradiços e sem queratina

Um dia ainda há de serem fortes, sedosos e brilhantes.



Caranguejúnior

Um comentário:

André Dia(s,z)? disse...

È isso aí, poeta! Nunca deixe de sonhar! Por mais que o pente da vida, queira nos arrancar isso!