sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

SOPRO


As batidas do meu coração
Não estão no repertório do show da Timbalada
Não estão descritas no set list do show do Pablo
Tampouco estão previstas
Nos ensaios do Olodum no Pelourinho
As batidas do meu coração
Não estão nos cardápios desses restaurantes chiques
Descritas ao lado das batidas de maracujá e de kiwi
Não são produzidas pelas mãos de nenhum barman
As batidas do meu coração
Não são as causas da redução de velocidade
Nas marginais
Não estão em nenhuma estatística
Do Detran, Denatran ou DER
[Apesar de elas terem causado
Inúmeros acidentes de trajeto
Quando a rota era você]
As batidas do meu coração não se comparam
Com as batidas policiais
Baculejos na avenida noturna
Não chegam aos pés das batidas de cassetetes
Em estudantes e professores nas ruas de São Paulo
As batidas do meu coração não fazem "zuada"
Como os batidões dos bailes funks da zona sul
Não levam multa da lei do PSIU!
Não incomodam vizinhos
As batidas do meu coração não chegam nem perto
Dos Bate-cabeças dos shows de hardcore que frequentei
Na associação comunitária do conjunto Muribeca
E no clube Intermunicipal de Prazeres
As batidas do meu coração
Não são as causas de tremores de terra no Chile
Não são causas de abalos sísmicos no cinturão de fogo do pacífico
Tampouco dos Tsumotos e Terrenamis no Japão
Não abalam estruturas
Não...
Não são mensuradas pela escala Richter
As batidas do meu coração são compassadas
Não ultrapassam o limite de tolerância de 85dB(a)
[Só é audível quando você chega perto demais]
As batidas do meu coração
Dá a outra face
Não bate
Não revida
É vida
Arranha
Apanha e
Pulsa!
Caranguejunior

Um comentário:

André Dia(s,z)? disse...

As batida bate com intensidade redobrada no peito do poeta!